Quem Somos?

O projeto Multimédia no ensino das Ciências em Portugal foi solicitado pela Fundação Francisco Manual dos Santos à Sociedade Portuguesa de Química e é coordenado por João Paiva e por Carla Morais. Iniciado em outubro de 2014, a primeira fase teve aproximadamente a duração de um ano.

 As recentes tecnologias abriram novas perspetivas para o ensino e aprendizagem das Ciências. Contudo, convém atender ao facto de que o potencial pedagógico dos computadores só poderá ser totalmente realizado se existirem suficientes programas educativos de boa qualidade.

Não raras vezes os conteúdos da larga maioria do software educativo estão mal integrados com os currículos. Outras vezes não se exploram suficientemente as capacidades dos modernos computadores. Por outro lado, e independentemente das múltiplas funções que as tecnologias possam desempenhar em contexto educativo – ferramentas de produtividade, meios de expressão e criação, canais de comunicação, fontes de informação e de recursos, entre outras – o desafio será conseguir que a utilização das tecnologias, nas suas mais variadas manifestações e formas, seja colocada ao serviço da aprendizagem intencional – a aprendizagem que ocorre quando os alunos articulam os seus objetivos de aprendizagem, aquilo que fazem, as decisões que tomam, as estratégias que utilizam e as respostas que dão – e colaborativa – a aprendizagem que ocorre quando os alunos trabalham em grupos, negociando as tarefas e métodos para alcançar os seus objetivos. Em suma, a utilização das tecnologias educativas pode ser uma forma de possibilitar um claro protagonismo do aluno, apoiando-o na construção e/ou reconstrução dos seus conhecimentos.

Nos documentos normativo-legais, organizadores da escola portuguesa e dos processos de desenvolvimento concreto do currículo, é grande o destaque dado à necessidade de envolver os alunos no processo de ensino e aprendizagem, através de experiências educativas diferenciadas que a escola deverá proporcionar, por exemplo, recorrendo às novas tecnologias, em particular à utilização de peças de multimédia educativo.